Guiraut de Borneil

“Assim, pelos olhos, o amor atinge o coração:
Pois os olhos são os espiões do coração.
E vão investigando
O que agradaria a este possuir.
E quando entram em pleno acordo
E, firmes, os três em um só se harmonizam,
Nesse instante nasce o amor perfeito, nasce
Daquilo que os olhos tornaram bem vindo ao coração.
O amor não pode nascer nem ter início senão
Por esse movimento originado do pendor natural.
Pela graça e o comando
Dos três, e do prazer deles,
Nasce o amor, cuja clara esperança
Segue dando conforto aos seus amigos.
Pois, como sabem todos os amantes
Verdadeiros, o amor é bondade perfeita,
Oriunda — ninguém duvida — do coração e dos olhos.
Os olhos o fazem florescer; o coração o amadurece.”

— Amor, fruto da semente pelos três plantada.
Giraut de Bornelh (Circa 1138-1200?)

Extraído do livro: O Poder do Mito, de Joseph Campbell