“Não existem sinônimos!” © Rubem Fonseca.